quinta-feira, 15 de dezembro de 2005

Afinal os tinteiros gostam de passear!

Afinal parece que os tinteiros das impressoras gostam é de passeata!
Estranho?
Eu explico.
Tenho 2 impressoras. A mais antiga apareceu-me com o tinteiro seco. Peguei no tinteiro, prudentemente embrulhei-o em papel absorvente, depois dentro de um saco de plástico para sanduíches e pu-lo dentro da minha carteira. Mas depois de dois dias não tinha ainda tido tempo para ir à loja dos tinteiros reciclados. E ainda bem.
Notei o papel que o envolvia todo cheio de tinta. Limpei-o. Voltei a pô-lo na impressora. Tinha voltado a funcionar lindamente.
Dias depois foi a impressora modernaça. Parecia um arraial de luzes verdes, encarnadas e brancas todas a piscar. No meio de tudo isso também dizia que o tinteiro tinha de ser mudado.
Fiz o mesmo que ao outro. Também andei com este tinteiro dentro da carteira antes de poder ir à tal loja de reciclados. Outra vez... manchou o papel e voltou a trabalhar lindamente. A modernaça impressora nem acende o incomodativo arraial de luzes.
Mais uma dica. Estranharam muito numa loja de reparações que eu tivesse um laptop há 6 anos e a funcionar bem. Perguntei porquê.
-"Porque costumam aquecer e queimar por dentro. Ficam sem conserto."
Realmente há anos impressionou-me um vidro de mesa partido no atelier de um arquitecto, por causa de um outro laptop. Assim ponho-lhes logo que os compro uns apoios de borracha altos e só os uso em cima de superfícies duras: mesas, secretárias, um tabuleiro se o tenho de levar para o sofá ou a cama,ou mesmo um livro ou revista dura à falta de melhor.
Hoje partilhei consigo duas dicas para ecológicamente, fazer durar mais o nosso material. Se souber de outras, conte-nos.

3 comentários:

Anónimo disse...

27 de Novembro de 2004 - DIA SEM COMPRAS,

o autoproclamado festival de celebração da vida pela vida. Um dia para te desafiares a ti, à tua família e amigos a desligar o canal shopping e sintonizar para a vida. Celebrado como um feriado por alguns, uma festa de rua por outros - qualquer pessoa pode participar, a única condição é não consumir.
Este ano a mensagem é clara: comprar menos, viver mais! Tentar uma vida simples por um dia, passando o tempo com aqueles que gostamos em vez de gastar dinheiro com eles.
É também um dia de reflexão sobre as consequências ambientais, sociais e éticas do consumismo. Os países desenvolvidos - que constituem cerca de 20% da população mundial consomem 80% dos recursos naturais do planeta, causando um nível desproporcionado de danos ambientais e uma injusta distribuição da riqueza.
Como consumidores que somos temos que questionar os produtos que compramos e quem os fabrica acerca da sua origem e processo de fabrico. Quais são os verdadeiros resíduos resultantes da sua produção? Quais as condições de trabalho e o nível de vida dos trabalhadores? O que nos leva a esta sede de comprar? Será a necessidade?
O dia sem Compras pretende ser um dia, um primeiro dia que sirva de exemplo para uma mudança de consciência e até de estilo de vida, para um consumo mais responsável e racional. Um consumo focado nas verdadeiras necessidades e tendo em conta os aspectos sociais e ambientais inerentes à preservação da Terra e ao tratamento igual que todos os seres humanos merecem.

Legionário disse...

Caríssima Maria Afonso Sancho,

Um bonito “post” que ilustra as coisas simples do dia-a-dia. Um feliz Natal e um próspero Ano Novo.

Maria Afonso Sancho disse...

Olá, Caro Legionário!
Tenho andado a recuperar de uma grande gripe. Por isso andei muito pouco activa na net.
Mas ainda bem, pois depois de uma boa gripe ficamos como novos!
Gosto muito das suas visitas.
Um abraço
Maria