sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Universos Paralelos


Hoje soube que dois amigos meus, que muito admiro, se tinham zangado.
Jah andavam ahs turras um com o outro ha bastante tempo. E ontem aconteceu.
Ahs razoes que os levaram ao conflito sinto-me completamente estranha.
Sinto que deve ser coisa de homens. Um outro Universo a que nao pertenco.
Desde que vivo em contacto com a Natureza e vejo as atitudes dos gatos, e outros machos, entre eles... resolvi desistir de querer assimilar o universo masculino.
Continuo feminista. Sou pela valorizaçao do Universo Feminino.
De resto ateh me parece que entendi o Universo deles; mas nao me agrada.
Nao quero participar nem perder energia com este assunto. Ainda bem que sou mulher!
Clique no titulo para ler o que diz uma inglesa sobre a arte de ser mulher das francesas.
Interessante.

7 comentários:

R.O disse...

e nós dizemos o mesmo das mulheres,,
é muito dificil entendê-las.

Conheço muitas mulheres, colegas de trabalho por exemplo , e amigas.
E todas elas admitem, contam-me que: não entendem as mulheres, não entendem a elas mesmas...

ahaha

Maria Afonso Sancho disse...

Pelo menos reconhecemos as diferenças e desistimos de nos querer tornar iguais.
E assim ate e mais divertido!

Anónimo disse...

Buda define a sabedoria como a capacidade de viver à luz de sua própria consciência, e a tolice como a insistência em seguir os outros, imitar os outros, tornar-se uma sombra de alguém.

O verdadeiro mestre cria mestres, e não seguidores.
O verdadeiro mestre o devolve de volta a si mesmo.
Seu empenho consiste precisamente em torná-lo independente dele, pois há séculos você tem sido dependente, o que não o levou a lugar nenhum. Continua a tropeçar na escura noite da alma.
Somente sua luz interior pode tornar-se o alvorecer. O falso mestre o convence a segui-lo, a imitá-lo, a ser apenas uma cópia carbono dele. O verdadeiro mestre não permite que você se torne uma cópia carbono, quer que você seja o original. Ele o ama! Como poderia levá-lo a ser uma imitação? Ele tem compaixão por você, gostaria que você fosse absolutamente livre - livre de qualquer dependência externa.

Mas o ser humano comum não quer ser livre. Quer ser dependente. Quer ser guiado por alguém. Por que? Porque assim pode jogar a responsabilidade nos ombros de outra pessoa. E, quanto mais alguém joga a responsabilidade nos ombros de outros, menor será a possibilidade de se tornar inteligente um dia. É a responsabilidade, o desafio da responsabilidade, que gera sabedoria.

Temos que aceitar a vida com todos os seus problemas. Precisamos enfrentar a vida desprotegidos; cada um deve buscar seu próprio caminho. A vida é uma oportunidade, um desafio para que nos encontremos. Mas o tolo não quer seguir o caminho mais difícil, o tolo escolhe o atalho. Pensa com seus botões: "Buda já alcançou, por que eu haveria de me preocupar? Posso observar seu comportamento e imitá-lo. Jesus já alcançou, por que haveria eu de continuar buscando? Posso simplesmente tornar-me uma sombra de Jesus. Posso simplesmente continuar a segui-lo hoje aonde quer que ele vá".

Mas como é que, seguindo alguém, você poderá desenvolver sua própria inteligência? Desse modo, não estará dando à sua inteligência qualquer oportunidade de explodir. É necessária uma vida de desafios para que a inteligência se manifeste, uma vida aventurosa, uma vida capaz de arriscar e explorar o desconhecido. Só a inteligência pode salvá-lo, ninguém mais - a sua própria inteligência, naturalmente. A sua própria consciência é que se pode tornar o seu nirvana.

Mariana disse...

concordo com o q escreceu, mas eu pessoalmente interesso-me pelos dois universos,tanto o feminino como o masculino pk é interessante analisar os dois universos mas tb é uma desilusao,pois nao concordo com muitas coisas

bj

Maria Afonso Sancho disse...

Querida Mariana

Eles sao de marte e nos de venus, como diz o titulo de um livro que se vendeu muito mas eu nunca consegui ler apesar de mo terem oferecido.
Eu tambem nao quero viver como eles, mais do que concordar ou nao.
Os gatos caçam ratos. Os caes caçam gatos. Apesar de nao concordar e achar uma trabalheira viver assim eh a natureza deles.
Eu tambem ando desconfiada que conheço bem o universo masculino. Mas descobri-o apenas ha uns 2 anos. E tenho a certeza que nao gostava nada de ser homem.
Mas isto provavelmente acontece apenas porque sou mulher.
bj

Maria Afonso Sancho disse...

Caro Anonimo
Obrigada pelo interessante texto.
Gostei especialmente desta parte: "O verdadeiro mestre cria mestres, e não seguidores.
O verdadeiro mestre o devolve de volta a si mesmo.
Seu empenho consiste precisamente em torná-lo independente dele, pois há séculos você tem sido dependente, o que não o levou a lugar nenhum. Continua a tropeçar na escura noite da alma.
Somente sua luz interior pode tornar-se o alvorecer. O falso mestre o convence a segui-lo, a imitá-lo, a ser apenas uma cópia carbono dele. O verdadeiro mestre não permite que você se torne uma cópia carbono, quer que você seja o original. Ele o ama! Como poderia levá-lo a ser uma imitação?"

Maria Afonso Sancho disse...

Caro Anonimo
Obrigada pelo interessante texto.
Gostei especialmente desta parte: "O verdadeiro mestre cria mestres, e não seguidores.
O verdadeiro mestre o devolve de volta a si mesmo.
Seu empenho consiste precisamente em torná-lo independente dele, pois há séculos você tem sido dependente, o que não o levou a lugar nenhum. Continua a tropeçar na escura noite da alma.
Somente sua luz interior pode tornar-se o alvorecer. O falso mestre o convence a segui-lo, a imitá-lo, a ser apenas uma cópia carbono dele. O verdadeiro mestre não permite que você se torne uma cópia carbono, quer que você seja o original. Ele o ama! Como poderia levá-lo a ser uma imitação?"