quinta-feira, 18 de março de 2010

Unschooling

Recebi este texto por email.
Se quiser juntar-se a este pai que o escreveu contacte-me.

A educação... é talvez a invenção social da humanidade mais autoritária e perigosa. É a raiz mais profunda da moderna escravatura, na qual a maioria das pessoas não são mais do que produtores, consumidores, espectadores e fans, motivados cada vez mais em todos os aspectos das suas vidas, pela ganância, inveja e medo. A minha preocupação não é melhorar a educação mas acabar com o negócio horrível e desumano de moldar pessoas, e permitir e ajudar as pessoas a moldarem-se a elas próprias.
John Holt

Quando nós adultos pensamos nas crianças ignoramos uma coisa muito simples: a infância não é uma preparação para a vida, a infância é vida.
As crianças não se estão a prepara para a vida, elas já vivem. Nenhuma criança irá perder a excitação e o prazer de viver a menos que lhe seja negado pelos adultos, que se convenceram que a infância é um período de preparação.
A quantas angústias nos pouparíamos se reconhecêssemos as crianças como companheiros no processo de viver. Quanto poderíamos aprender uns com os outros; nós temos a experiência e eles têm a frescura. Como poderia ser plena a vida de ambos.
John Taylor

Começo a suspeitar de todos os sistemas elaborados de educação. Parece-me que são construídos partindo do principio que as crianças são uma espécie de idiotas que têm que ser ensinados a pensar. Quando uma criança é deixada por ela própria, ela pensará mais, melhor e mais rapidamente. Deixem-na mover-se livremente, tocar as coisas reais e interpretar as suas sensações, em vez de a pôr numa sala, sentada à volta de uma pequena mesa redonda, enquanto a professora de voz doce sugere que ela construa uma parede de pedra com blocos de madeira, que faça um arco íris com tiras de papel colorido, ou que plante uma árvore num vaso. Este tipo de ensino enche a mente com associações artificiais, das quais a criança tem que primeiro se livrar antes de conseguir desenvolver ideias independentes a partir da experiência que efectuou.
Anne Sullivan

Procuro informação sobre o movimento Unschooling em Portugal, ou o conhecimento com pais que estejam ou queiram explorar este forma de educação natural, contornando o ensino oficial obrigatório. Sou pai do André que tem dois anos.

Agradeço divulgação.
A. M.

P.S.de 3 de Abril de 2010: Entretanto reunimos bastante informacao sobre o assunto. Encontra-a no comentario numaro 4, que publiquei aqui. Espero que lhe seja util. E venha aqui partilhar conosco as suas ultimas descobertas.

4 comentários:

Henrique Dias Freire disse...

Concordo com a substância dos textos.
Por muito chocante que possa parecer, apesar da nossa sociedade ocidentalizada crer que aboliu as práticas da escravidão, as crianças de hoje ainda estão longe de terem sido "libertadas".
Infelizmente, a memória, sobretudo dos pais, é curta.
Bastariam fazer um pequeno esforço em recordarem a sua infância, momentos em que se sentiram injustiçados pelos próprios pais por muito que tenham achado/tido uma infância feliz.

Henrique Dias Freire disse...

Aproveito para aqui deixar um texto da minha filha Alexandra (9 anos).


"Não se esqueçam como é ser criança

Num belo dia de Verão, eu e o meu irmão Afonso, fomos passear com o nosso pai.
No final da tarde regressámos de Faro e ao chegar a Tavira, o meu irmão viu um cartaz na rua a informar que o presidente de Câmara Municipal de Tavira, Macário Correia, ia discursar para a população.
Ao chegar a casa, comecei a pensar se ia ou não pois tinha uma coisa para contar.
No dia seguinte pedi ao meu pai para irmos ouvir o discurso.
Assim, logo a seguir ao almoço, fomos e até chegámos dez minutos antes da hora, junto da Câmara Municipal.
Quando chegou o Macário ele começou a falar sobre Tavira. No final, ele dirigiu uma pergunta à população. Foi aí que levantei o braço e fui escolhida.
Mas em vez de responder resolvi perguntar, por que é que os pais fazem aos filhos o mesmo que não gostavam quando eram crianças?
De repente ouviu-se o silêncio de admiração e logo a seguir todas as crianças presentes começaram a bater palmas. Foi de tal maneira que abri os olhos, os olhos e acordei na cama no meu sonho profundo no dia em que eu fazia seis anos."

Maria Afonso Sancho disse...

Caro Henrique

Mas que filha excepcional tem!
Parabens.
ainda ando a arrumar ideias sobreo assunto.
Sabe algo sobre a possibilidade de nao escola em Portugal?
Conheco uma senhora que conseguiu isso para o seu filho. Mas ele agora tem 30 anos.
Felicidades:-)))

Maria Afonso Sancho disse...

Meus Caros Amigos

Venho aqui partilhar os links que coligimos num outro grupo que criei a partir do email deste senhor.
Ora vamos la ah nossa lista:

http://permaculturaportugal.ning.com/group/aprendersemescolaouounschooling

http://www.clonlara.org/

http://bioterra.blogspot.com/2009/01/bilderberg-e-portugueses-bilderberg.html


http://pesnarelva.wordpress.com/

http://escolabela.wordpress.com/

http://aprendersemescola.blogspot.com/

Despeco-me com um grande abraco, coracao com coracao, e os nossos chacras cardiacos a brilhar muito. Como o Sol.