sábado, 30 de julho de 2005

Perdoe! Até por por vingança e puro egoísmo.


Paz, Felicidade e Amor.
document.onfiltered=new Function ("return false")>


Estive esta tarde a ouvir uma palestra acerca do perdão.
Já sabia que é indispensável para a saúde. Faz parte do processo de cura nas doenças mais complicadas.
Os ressentimentos corroem-nos por dentro.
Destroem-nos.
Literalmente.
E quem nos fez mal... apenas nos maltratou e andou.
Esqueceu-nos.
Vampirizou-nos aquele pouco de energia através da maldade (o que sentimos como maus-tratos) e continuou a viver.
Foi comer, dormir, dar um passeio ou trabalhar.
Esqueceu-nos logo.
Desligou-se de nós.
E nós continuamos a viver?
Perdoar é desligar-nos.
De um presente, que já está mais que passado. Contudo aprisionou-nos.
Desligámo-nos dele?
Não.
Mantivemo-nos prisioneiros no inferno que foi a tal "maldade", que nos fizeram.
Imaginamos vinganças.
Se sabemos de algo de mau aconteceu, ao mauzão ou mázona, pensamos "bem feito!"
Ficamos contentes, mas sem felicidade.
A falta de perdão mantém-nos prisioneiros daquele momento terrível do nosso passado.
Portanto o melhor é ser muito egoísta ;-)... e perdoar!
Claro que ao princípio temos todo o direito a ficar cheios de raiva. Zangadíssimos. Dar uns saudáveis murros numa almofada. Ou no colchão da cama, que é mais resistente.
Depois resta-nos... o egoísmo de lhes perdoar.
Podem escapar sempre à justiça dos homens.
Podem ser muito ricos, vestir lindamente, ter muitos carrões do último modelo, avião privado, aparecer nas revistas todas pelo grande sucesso profissional ou outra coisa qualquer, receber medalhas de reconhecimento internacional, serem Doutores Honoris Causa de qualquer coisa, parecer serem encantadores e boas pessoas, contudo... a justiça divina é perfeita.
Parece que o Senhor da Justiça é um nosso velho conhecido.
Um tal sêr chamado Lúcifer, entre outros nomes. Portanto ao pedirmos Justiça estamos a pedir favores a companhias nada recomendáveis.
É como pedir um favor ao "Padrinho" daquele filme. Ou já estavamos ao mesmo nível que ele ou ficamos presos no seu inferno privado.
Ele pagará pelo que lhe fez. Pode ter a certeza. Não perca mais tempo com isso.
E você zerou essa dívida karmica que tinha desde algures no tempo e no espaço.
Como eu ensinava aos meus filhos há mais de 25 anos:
---Podem enganar a mãe. Podem enganar toda a gente. Mas não podem enganar os invisíveis anjinhos que andam sempre a voar à nossa volta e que anotam tudo o que fazemos.

Bem. Concluindo:
A melhor forma de nos vingarmos é ;-) sermos muito egoistas é perdoar!

1 comentário:

Mypicblog disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.