sábado, 22 de outubro de 2005

O meu amado forno solar




Ultimamente tenho estado muito entretida com o meu forno solar. Tenho-o desde 2003 mas so agora estou mesmo a usa-lo a serio.
Tenho de fazer experiências constantes para aprender.
Vem com um livro de receitas; mas não uso aqueles ingredientes. Só serve de inspiração. Aconselho vivamente este meio de cozedura para os alimentos.
Ficam com uma energia pacífica e alegre. Tão diferente da do gás. Que nem vale a pena comparar com a dos fogões electricos ou dos de microndas (iac!).
E a comida é tão revitalizante!
Mas ainda estou uma principiante nestas aventuras do meu forno solar. Isto de usar energia solar num prédio em Lisboa tem que se lhe diga.
No dia em que mo trouxeram tive de andar com ele ao colo da minha varanda para a do quarto dos meus filhos para ir atrás do sol. Ainda tive de acabar de apurar a comida do jantar no gás, pois o sol entretanto foi-se embora.
Tinham-me trazido o forno já perto do meio dia... E tem de se começar por volta das 9 da manhã para poder almoçar. Mas não dá trabalho. Põe-se lá dentro, orienta-se o forno e deixa-se estar. Hoje fiz um empadão de arroz integral com algas wakame e gengibre, assei abóbora e aqueci pão. Que maravilha!
Mas a maior surpresa foi encontrar esta manhã dentro do forno a lagarta mais direita que já tinha visto em dias da minha vida. Estaria dentro das maçarocas de milho que comi ontem à noite. Deve ter saído do esconderijo no carolo mas ficou cozida.
Eu prometo que irei informando no blog, sobre este meu novo desafio solar.
PS 1: Estou mesmo muito contente com este forno. Não me interessa muito a rapidez da cozedura. Ineressa-me é deixar o forno orientado para a melhor hora de sol e quando chego a casa à noite ter tudo cozido e ainda quente. Basta pôr nos pratos e comer.
Só não o pude usar nos poucos dias muito nublados. Então só daria para fermentar algo.
PS 2: Tenho usado este Verão de S. Martinho para aperfeiçoar a minha técnica de cozinhar com energia solar. Hoje consegui finalmente um arroz integral impecável. Ontem estreei-me com uma sopa deliciosa. Asso maçãs reinetas deliciosas, afasto os bichos dos cereais ou frutos secos. Aqueço o pão. Devia ficar de comer e chorar por mais se eu comesse manteiga. Para um pão com alho, por exemplo.
O que é importante é pôr tudo a cozinhar logo de manhã ou até preparar tudo de véspera. Não estamos a grelhar bifes que precisam de atenção constante.
Depois basta orientar para a altura em que o sol bate melhor. E quando chego a casa tenho tudo quente e cozinhado.

5 comentários:

silvio disse...

eu sei como fazer fornos desses.
quando eu era pequeno, no NATAL deram-me aquele livro "a minha agenda" e ensina a fazer.
com placas metalicas, espelhos, etc,
mas temos que deixar a comida umas 4 horas ao sol.

de inverno é mais ficicil fazer algo.
eu lembro-me, era puto, e estrelei um bife naquilo :-)

abraço

Anónimo disse...

Veja estes fornos
http://solarcooking.org/plans.htm

Anónimo disse...

http://solarcookers.org/

Anónimo disse...

http://www.sunoven.com/saving%20lives.asp

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! » » »